segunda-feira, 16 de junho de 2008

Encontro

"E eu estava só. Sem precisar de ninguém. É difícil porque preciso repartir contigo o que sinto. O mar calmo. Mas à suspeita e em espreita. Como se tal calma não pudesse durar. Algo está sempre por acontecer. O imprevisto improvisado e fatal me fascina. Já entrei contigo em comunicação tão forte que deixei de existir sendo.Você tornou-se um eu. É tão difícil falar e dizer coisas que não podem ser ditas. É tão silencioso. Como traduzir o silêncio do encontro real entre nós dois? Dificílimo contar: olhei para você fixamente por uns instantes. Tais momentos são meu segredo(...)"















Eu preciso de segredos para viver.

Um comentário:

Alexandre Resende disse...

muito interessante,... coisa incriveis vejo por aki...rsrsrs

bjo