terça-feira, 4 de agosto de 2009


"Eu nunca gostei daquele apelido, quer dizer, eu gostava dele do meu jeito, escrito da minha maneira e você sempre insistiu em escrever do seu jeito e eu odiava. E agora toda vez que alguém escreve ele do jeito que eu odeio, eu lembro de você e gosto. Dói um pouquinho, mas eu gosto de lembrar que você existe dentro de mim...







ainda."

Um comentário:

Mari. disse...

essa saudade que dói bota a gente numa comoção, não?