quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Auto ensaio


Todo dia eu sonho mais do que deveria, desperto no susto, adio as tarefas, canalizo o senso infantil e sonho em colecionar dvds animados.
Dia sim dia não, limpo minha alma da sujeira magnética das ruas, sou um tipo esquisito de pára raios mágico, credo, desconecto do mundo sempre usando a mesma sintonia/sinfonia. Clichê.
Me desloco mais tempo do que gostaria. Bato o costumeiro cartão psicológico, finjo aquela tal produtividade esperada - expectativa banalizada-, mascaro o meu ponto nulo, tão boa atriz que ninguém percebe a péssima atuação. Vinte e dois suspiros de gelado e onze de quente misturados à um milhão de expectativas sem sentido, isso três ou quatro vezes por dia. É sempre igual, as vezes ácido.
Os afetos - ah, os afetos- são bons e bem cultivados, poucos, confesso. Os cenários são fixos, as personagens sempre mudam, ora felizmente, ora infelizmente.
Muita coisa bonita aparece por aqui, mas a maioria nem existe no plano real. Previsível.
Ok. Nada inovador.
Só um capítulo porco de um roteiro ruim.



Autoria de Deus, tradução minha.



Ouvindo: Shake the disease - Depeche Mode

2 comentários:

Mariana N. disse...

Se não fosse eu pra te passar Depeche Mode, vc estaria perdida.



Ou não.

Raposo Tavares disse...

Pois é, isso não é novidade, mas é engraçado estarmos vivendo isso pela primeira vez em 22 anos, tentando fazer as coisas acontecerem... andei tendo sensação de descontrole sobre o que está ao meu redor quando vi um sujeito descendo uma avenida a toda velocidade em sua cadeira de rodas... e todo mundo está preocupado intensamente com o que precisam pra aproveitar o mundo que elas não inventaram, está empacotado em uma embalagem de supermercado que alguém pode ter colocado lá sem que ninguém saiba, mas sempre encontramos caminhos possíveis nesse aglutinado de coisas estranhas a serem vividas com todos os sentimentos que pudermos... surpreso, de novo... há 22 anos eu babava, era analfabeto, não andava. Nem controlar as fezes eu sabia. E hoje eu sei que ainda não sei.