segunda-feira, 1 de março de 2010


Três horas dormidas, cansaço físico aparente, mas continua tudo bem. Longe de casa, do outro lado da cidade, longe daqueles velhos sentimentos, do outro lado do coração. Faz tempo que não acordo com um abraço, não lembrava mais como era bom ficar assim: abrindo um olho só, dizendo qualquer coisa, sem fazer o menor sentido, rir mesmo com o vento congelante invadindo a janela, sair correndo entre os cachorros à procura de algum canto mais quente da casa. O bom humor releva até esse vento gélido, até essas coisas ruins que não abandonam o pensamento.
Ainda não acredito que ela topou ouvir Beatles comigo, já imaginei logo aquele sonoro: NÃO. Mas ela acenou que sim e colocou, não entendo nem questiono, apenas sorrio e curto a música enquanto fico resumida no canto do quarto, braço apoiado no parapeito da janela, cobertor no colo e um cigarro entre os dedos. Ela na outra ponta, louca, descabelada, 38 horas acordada, falando ao telefone, rindo de tudo, de todos, com a boca cheia de chocolate. Acho a cena engraçada e continuo a olhar a garoa pela janela, "tempo feio", pensei, mas mesmo assim continua tudo bem, continua tudo certo. Cabelos desgrenhados, descalça, sem maquiagem, sem telefone, sem ânsias, sem porquês. De repente me ocorre que eu deveria ser um pouco mais nobre e enfrentar tudo aquilo que a meses eu não tenho saco, só por alguma compreensão altruísta e blablabla. Logo desisto da ideia. Hoje não, hoje eu quero ficar exatamente como estou: parada, egoísta, com o cobertor no colo, olhando a janela, com ela louca do outro lado do quarto e os acordes empoeirados deles se repetindo na minha cabeça cansada:
And anytime you feel the pain,
Hey, Jude, refrain,
Don't carry the world
Upon your shoulders.

Só por hoje.


Ouvindo: Hey Jude - The Beatles

4 comentários:

cowy disse...

meu cabelo tá com uma onda engraçada. em toda essa sessão de fotos. hahahahah

não vou comentar o texto porque tenho que manter a fama de pessoa horrível. foi difícil de construí-la, não vou acabar com ela num comentário, juro.

Praguejento disse...

é impressão minha ou você mudou o estilo de escrita?

aLine disse...

vcs fizeram sexo??

caberia uma narrativa de sexo ai no meio do seu texto..

oi, sou pervertida!
ha

Mariana N. disse...

meio que me deu nojinho, te juro.