quinta-feira, 29 de abril de 2010


"Enquanto isso, vá me estendendo a mão, que eu preciso dela. Se você não diz nada, é porque há muita coisa dentro de você. Eu gostaria que você se confiasse um pouquinho mais a mim; É isso que eu chamo de jogo unilateral. Não pense que eu ando atrás só de "belas coisas simples". Eu quero qualquer coisa, desconexa, contraditória, insegura, não tem importância , desde que seja sua. As definições redondas e grandiloqüentes, as coisas categóricas e acabadas não me satisfazem. Porque eu não sou assim. Se não quiser dizer nada, também não faz mal, basta me estender a mão. (...)"











"No momento eu só tenho um grande problema - é saudade de você - o resto é bobagem."

2 comentários:

Mariana N. disse...

saudades: dá que passa.

aline disse...

hahahaha dá que passa!